Mais Vida

MaisVida

1squareO Mais Vida é um projecto cujo propósito é a monitoria e advocacia para a melhoria da prestação dos serviços de saúde da Mulher e da Criança, em unidades sanitárias de 12 distritos das províncias de Niassa e de Cabo Delgado, nomeadamente:

Cabo Delgado: Ancuabe, Montepuez, Quissanga, Muidumbe, Nangade, e Macomia;

Niassa: Ngauma, Mandimba, Cuamba, Marrupa, Lago e Sanga.

2rectO projecto é implementado pelo Consórcio composto por N’weti-Comunicação para Saúde, Centro de Integridade Pública (CIP) e Centro de Aprendizagem da Sociedade Civil (CESC), e conta com o financiamento da Cooperação Suíça para o Desenvolvimento (SDC) e do Programa AGIR.

A intervenção pretende facilitar a participação e o engajamento dos cidadãos e das organizações da sociedade civil nos processos de monitoria da qualidade dos serviços de saúde da mulher e da criança bem como a facilitação de processos de advocacia com vista à melhoria da qualidade desses serviços, especialmente no que tange à participação comunitária no processo de tomada de decisões e na melhoria de aspectos de funcionamento dos serviços de saúde, tais como, a redução do tempo de espera dos utentes nas unidades sanitárias, o acesso aos serviços, a redução dos constrangimentos relacionados à pequena corrupção associada ao acesso ao serviço de saúde e aos tratamentos, a melhoria da motivação e da atitude do pessoal de saúde e, também, questões associadas com a higiene nas unidades sanitárias.

3rectPretende igualmente, reduzir o uso ineficiente, ou mau uso dos recursos disponibilizados aos distritos para a prestação de serviços de saúde. Para o efeito, o projecto utilizará processos e ferramentas participativas de monitoria dos serviços, como são os casos do Cartão de Pontuação Comunitária (CPC) e o Rastreio das Despesas (RD).

Os principais resultados que se pretendem com o projecto são:

  • Cidadãos mobilizados e informados para agirem e exigirem uma melhor qualidade de prestação de serviços de saúde;
  • Melhoradas as intervenções dos cidadãos e da sociedade civil com vista a pressão para a prestação de contas por parte dos provedores de saúde nos 12 distritos seleccionados;
  • Melhorada a advocacia baseada em evidências para influenciar as políticas de saúde a nível nacional.

Tendo iniciado em 2015, a fase de implementação do Mais Vida compreenderá o período correspondente a 3 anos, tendo o seu término em 2018.

4pano

Parceiros